quinta-feira, 31 de março de 2011

Receita médica

Há algum tempo descobri que sou hipertenso. E, há pouco tempo, descobri a "Farmácia popular", onde o governo (isto é, você!) paga grande parte do meu medicamento.
O engraçado é que a burocracia para se conseguir comprar na "Farmácia popular" exige a apresentação da receita médica.
E a receita médica tem validade de 3 ou 4 meses (não lembro direito).
E a anta do meu médico me deu uma receita com validade de 6 meses.
Isso quer dizer que, depois de 4 meses, é preciso apresentar uma receita nova, na farmácia.
Hoje, que preciso comprar mais comprimidos, fui trocar a receita.
A consulta só seria marcada para o dia 12.
A atendente deu de ombros e disse "Aí não tem jeito".

Xingamentos mentais à parte, alguém me responde: por que é que é preciso ir a cada 3 (ou 4, não lembro) meses ao médico para "renovar" uma receita de um medicamento que estou condenado consumir pelo resto da vida?

Opinião sobre homosexualismo

Não sou muito interessado nesse assunto, mas quando vi a matéria http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/896045-bolsonaro-diz-que-esta-se-lixando-para-homossexuais.shtml , também dei uma olhada em http://blogay.folha.blog.uol.com.br/arch2011-03-27_2011-04-02.html#2011_03-30_14_38_47-159984795-0 .
Em primeiro lugar, gostaria de lembrar que estou falando sobre um assunto (homosexualismo), e não sobre qualquer pessoa em especial.
Acredito que o homosexualismo é um erro. Assim como colocar gasolina no escapamento do carro é errado. Quem quiser colocar, coloque. Mas está errado. Não cumpre a função.
Evidente que a evolução (ou criação, não importa), criou os sexos com uma determinada função. Se algo não cumpre sua função, está errado. Seja lá qual for o motivo.
Se for genético, não se pode responsabilizar os indivíduos, mas não deixa de ser errado.
Se for "doença", também não há responsabilidade do praticante, mas continua sendo errado.
Se é opção, é mais errado ainda, pois a pessoa está, conscientemente, escolhendo colocar gasolina no escapamento do carro.
Se é "coisa do capeta", continua sendo errado.
Enfim, não consigo imaginar uma única razão que justifique (isto é, se permita considerar "certo") o homosexualismo.
E muito menos as "campanhas" e a aceitação desse status como "normal".
E ponto final.